Glossário contábil: fique por dentro dos principais termos da área

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A rotina do profissional de Contabilidade exige um conhecimento aprofundado de termos e conceitos que, muitas vezes, podem gerar uma certa confusão na hora de colocar a teoria em prática. Além, claro, das noções próprias da Contabilidade, também fazem parte do trabalho cotidiano do contabilista conteúdos que passam pelo universo das Finanças, da Administração e até do Direito, o que representa um desafio para muitos profissionais.

Buscando simplificar ao máximo a rotina do profissional da área, elaboramos um rápido glossário contábil que possa servir de consulta rápida, inteirando os profissionais da área sobre os principais termos usados corriqueirmente. Então acompanhe e relembre:

Ativo

O primeiro termo a ser esclarecido é a noção de ativo, parte essencial do vocabulário contábil, que representa o conjunto de bens, direitos, créditos e todos os valores que formam o patrimônio de uma empresa — ou até mesmo de uma pessoa física.

Ativo circulante

O ativo circulante representa o conjunto de bens e direitos de uma organização que podem ser convertidos em valores a curto prazo, ou seja, que podem ser realizáveis até o final do próximo exercício social — o que ocorre logo após a divulgação do balanço da empresa. Como exemplos clássicos podemos citar bens em estoque, dinheiro em caixa e contas a receber.

Ativo contingente

Os bens e direitos que fazem parte do ativo contingente são aqueles cuja realização está condicionada a um determinado acontecimento futuro e incerto. O termo contingente significa incerteza, algo que pode ou não acontecer no mundo fático. Um exemplo? Valores discutidos em ações judiciais cujo desembolso por parte da empresa está condicionado à possibilidade de êxito no pleito — provável, possível ou remota —, mas que ainda não têm decisões finais favoráveis. Assim, valores discutidos em ações judiciais devem ser contabilizados como ativo contingente a partir do momento da publicação da decisão final favorável, não no momento da realização do ativo.

Ativo imobilizado

O ativo imobilizado é formado por bens indispensáveis ao funcionamento da empresa, tendo como característica principal sua tangibilidade, ou seja, consiste em bens palpáveis. Os bens constantes no ativo imobilizado têm um papel importante na manutenção das atividades da empresa, pois dizem respeito às máquinas e aos equipamentos primordiais à produção, bem como as edificações e os custos com benfeitorias realizadas em bens locados ou arrendados.

Ativo não circulante

Ao contrário do ativo circulante, esse grupo de contas diz respeito aos bens e direitos realizáveis a longo prazo, ou seja, que possuem natureza duradoura. Estão inseridos no ativo não circulante os investimentos a longo prazo, empréstimos compulsórios, aquisições de bens para o ativo imobilizado e aplicações financeiras resgatáveis a longo prazo.

Balanço patrimonial

Uma das principais obrigações de uma organização, o balanço patrimonial representa a situação econômico-financeira da empresa em um determinado período de análise, tendo como objetivo principal oferecer aos gestores, auditores e investidores um retrato da atual situação do negócio, a fim de proporcionar análises e estudos a partir dos dados ali contidos. A estrutura desse balanço consiste na demonstração contábil, de forma quantitativa e qualitativa, de seus ativos, passivos e patrimônio líquido, indicando quais são os direitos, as obrigações e os bens que fazem parte de sua equação patrimonial.

Bens do ativo

Os bens do ativo são subdivididos em bens de consumo, bens fixos, bens intangíveis, bens numerários, bens de renda e bens de venda. Os bens de consumo representam os bens que possuem natureza não durável e que são utilizados no processo produtivo e para a manutenção da atividade da empresa. Os bens fixos são aqueles bens utilizados na rotina operacional da empresa, mas que seu desgaste excede o período de um ano — como é o caso de máquinas, equipamentos e edificações. Os bens intangíveis, por sua vez, não possuem existência física e são compostos pelos direitos da empresa — como é o caso das marcas e patentes e direitos autorais. Já os bens numerários são aqueles que somente são traduzidos em moeda e se encontram à disposição para uso da empresa — como o montante de dinheiro em caixa, por exemplo. Os bens de renda são aqueles que não estão diretamente ligados à atividade econômica da empresa, mas têm como objetivo gerar renda para a sociedade de forma alternativa — como ocorre com aluguéis, venda de bens do ativo imobilizado e participação em outras empresas. Por fim, os bens de venda são aqueles bens produzidos ou adquiridos para revenda pela empresa, que são necessariamente destinados à venda.

Capital social

O capital social é a parcela do patrimônio líquido inicial da empresa que foi aplicado pelos seus próprios sócios na criação da sociedade. De modo geral, o valor do capital social é mantido ao longo do tempo e somente pode ser alterado se for de comum acordo entre os sócios, que podem optar por realizar um aumento de capital — aporte de investimentos adicionais — ou diminuir seu montante — com a retirada de investimentos realizados anteriormente.

Custo

Custo é qualquer dispêndio por parte da empresa que está relacionado a compra de matéria-prima, contratação de mão de obra, gastos gerais com a fabricação de determinados bens, consumo de energia elétrica, depreciação de máquinas e equipamentos, bem como aquisição de material de limpeza para manutenção das instalações da empresa. Os custos podem ser diretos, que são fáceis de ser identificados e estão ligados de forma direta à fabricação dos bens comercializados pela empresa, ou podem ser indiretos, um pouco mais difíceis de serem identificados, pois estão relacionados à produção de forma indireta — como é o caso dos gastos com planejamento, gerência, manutenção de equipamentos e assim por diante.

Passivo

O passivo de uma empresa é representado pelo conjunto de seus deveres e de suas obrigações financeiras — como as dívidas contraídas, as contas a pagar, compras a prazo, dentre outras obrigações e dívidas contraídas no dia a dia da atividade da organização. Da mesma forma que o ativo, o passivo também é dividido em subgrupos e comporta o passivo exigível, o passivo circulante, o passivo não circulante e o passivo não exigível.

Patrimônio líquido

O patrimônio líquido de uma empresa representa a diferença entre seus ativos e passivos, resultando em contas de saldo credor que são divididas em capital social, reservas de capital, reservas de lucros e lucros e prejuízos acumulados.

É indispensável que o contabilista esteja sempre atualizado e informado sobre as peculiaridades de sua área, sentindo-se seguro para exercer suas atividades da melhor forma possível. Portanto, tenha sempre esses conceitos em mente e recorra ao nosso glossário sempre que sentir necessidade!

E não se esqueça de comentar aqui para nos contar se tem algum outro termo contábil com o qual você tenha dificuldades! Divida suas dúvidas conosco e participe da conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Cadastre-se e receba

A DECISIVA ASSESSORIA E CONSULTORIA CONTÁBIL
ajuda a subir os outros degraus da escada para o sucesso! Inscreva-se na nossa newsletter e receba o conteúdo exclusivo que separamos para você!
Recomendado só para você!
Quanto dinheiro tem no caixa da sua empresa? Quantas das…