Liderança e resultados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Uma grande ansiedade que vive as Organizações hoje é a busca por Líderes, não que haja tantas posições abertas neste nível dentro das Empresas, não é este o problema. O problema é que as empresas sentem falta de Líderes de Resultado.

Apesar de vermos quase todas as posições nos organogramas fechadas, há uma percepção de que os Líderes que ocupam tais posições não estão entregando aquilo que a Empresa tanto espera. Por outro lado vemos Líderes reclamando que estão sob pressão intensa, trabalhando demais, sem tempo para a família, ansiosos, angustiados, estressados. Estamos, então, diante de um paradoxo, as Empresas reclamam de seus Líderes, que reclamam da forma como estão trabalhando. Por que isto ocorre?

Primeiro, a Liderança não sabe exatamente O QUE se quer dela, ou porque a Empresa não diz claramente (pois pensa que ´todo líder tem que saber, é óbvio´) ou porque o Líder não faz questão nenhuma de saber, às vezes por limitação, medo, ou por falta de interesse (zona de conforto).

Some-se a isto o fato de que muitos Líderes não se mantêm informados sobre novas tecnologias, novos processos, novas ferramentas ou mesmo sobre as mudanças econômicas e sociais que impactam no dia a dia das Organizações e, por isso, se tornam obsoletos e incapazes que entenderem quais são os NOVOS resultados exigidos de seu cargo.

Segundo, o Líder não sabe COMO alcançar os resultados. Ele acha que deve fazê-lo sozinho, a partir de suas crenças, seus paradigmas, suas verdades, que, desta forma, acabam se tornando seus limitadores. O Líder não entende que precisa fazer alianças para buscar resultados, seja com seus pares, outros Líderes, clientes e, principalmente, com sua equipe.

Pois é, o Líder tem que fazer alianças com sua equipe e isto significa se abrir, ouvir as ideias dos seus colaboradores, aceitar sugestões, entender que a equipe é quem lhe traz as melhores soluções para os problemas. Mas não é fácil ´sair do pedestal´ da Liderança para dar ouvidos aos colaboradores, é necessário ter humildade, além de um genuíno interesse pelo próximo e de uma grande vontade de colocar o Resultado da Empresa acima de seus egos e interesses pessoais.

Terceiro, o Líder precisa fazer a Liderança de si mesmo, se conhecer melhor, saber de seus pontos fortes e seus limitadores, saber aquilo que ele faz de melhor e aquilo onde precisa, DE FATO, melhorar, deixando de pensar que deve ser um Super Homem, saber de tudo e resolver tudo sozinho. Aí ele vai ver que precisa dos outros e, sendo um bom Líder, saberá extrair o máximo de cada um para obter os resultados que tanto se espera dele.

Pense, mude, seja um Líder de Resultado e um Líder Feliz.

Fonte: Administradores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Cadastre-se e receba

A DECISIVA ASSESSORIA E CONSULTORIA CONTÁBIL
ajuda a subir os outros degraus da escada para o sucesso! Inscreva-se na nossa newsletter e receba o conteúdo exclusivo que separamos para você!