Planejamento tributário 2016: reduza sua carga de impostos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O ano de 2015 foi difícil para muitos negócios. Em períodos como este, as empresas que têm uma base sólida costumam sofrer menos e ter uma recuperação muito mais rápida, como já mostramos neste artigo.

Um dos pontos mais importantes para garantir o crescimento em 2016 é o planejamento tributário. Preparar-se para o próximo ano com o apoio de uma assessoria contábil é essencial, pois garante a redução da carga de impostos e dá fôlego para que a empresa possa expandir.

Esse exercício é, em geral, bem mais simples do que parece. Entretanto, é importante que seja incluído na estratégia da empresa o quanto antes. Veja a seguir como você pode implantar um planejamento tributário no seu negócio em 5 passos:

Entendendo como começar o planejamento tributário

Antes de mais nada, reúna pessoas de confiança na sua equipe. Dependendo do tamanho da empresa, é possível juntar diferentes competências, como tributária, contábil, administrativa e jurídica.

Essa equipe será responsável por diagnosticar a situação atual da empresa e implementar medidas em curto, médio e longo prazo.

Conhecendo as opções

Depois disso, faça um levantamento de opções de regimes de tributação federal (Lucro Real, Presumido ou Simples Nacional). Pense também em maneiras de organizar o negócio (holding, off-shore, grupo de sociedades, entre outros).

Não deixe de se atualizar sobre incentivos fiscais regionais, como o SUDAM e SUDENE; tratamento diferenciado sobre créditos fiscais (ICMS, IPI, PIS, COFINS) e diferenças de tributação sobre operações de serviços (ISS municipal) e outros tributos especiais (ITR, por exemplo).

Fazendo simulações

Uma vez que você conhece as opções, é hora de simular o impacto delas nos negócios. Esse é o momento de ser preciso nos cálculos e entender quais as melhores alternativas a serem adotadas.

Com o apoio da equipe, será possível reduzir ao máximo a carga de impostos. Essa também é a hora de inovar nos processos operacionais, aumentando a eficiência do trabalho.

Prevendo os melhores e os piores cenários

Empresas responsáveis incluem o máximo de cenários possíveis no seu planejamento tributário. É importante saber como as decisões que forem tomadas durante o planejamento afetarão a empresa em cenários extremamente favoráveis e também em cenários desfavoráveis.

Considere como possibilidades um faturamento baixo (cenário ruim), um faturamento médio (cenário conservador) e também um faturamento alto (cenário arrojado).

Batendo o martelo

Com o apoio da equipe que você montou, decida quais medidas serão adotadas pela empresa na prática. Dependendo da estrutura da empresa, é preciso que você apresente e aprove as decisões junto à diretoria. Lembre-se de que essa aprovação deve ser feita o quanto antes para garantir que o próximo ano inicie de maneira sólida.

Mantendo um acompanhamento constante

Por fim, certifique-se de que o planejamento tributário será uma atividade constante na empresa. Ele deve ser contínuo e contar com o acompanhamento dos gestores. Essa é a única forma de se adaptar às mudanças tributárias que acontecem o tempo todo no nosso país.

Agora é hora de aplicar o que você leu! Para isso, temos outro artigo que também te ajudará nesse assunto. Leia e descubra o que é um planejamento tributário e qual a sua importância!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Cadastre-se e receba

A DECISIVA ASSESSORIA E CONSULTORIA CONTÁBIL
ajuda a subir os outros degraus da escada para o sucesso! Inscreva-se na nossa newsletter e receba o conteúdo exclusivo que separamos para você!
Recomendado só para você!
O capital de giro e o seu gerenciamento eficiente são…